Biologia Molecular e diagnóstico laboratorial

Por Marianna Kunrath Lima 07/10/21

Biologia Molecular é um ramo da biologia que estuda os organismos em nível molecular, ou seja, analisa moléculas como proteínas, DNA (ácido desoxirribonucleico) e RNA (ácido ribonucleico). A Biologia Molecular surgiu da junção da Bioquímica, Genética e Biologia Celular, sendo assim uma área integradora e relativamente nova.

  O desenvolvimento da Biologia Molecular é fortemente atrelado ao avanço da tecnologia, que permitiu o surgimento de técnicas capazes de análises submicroscópicas. A princípio, a Biologia Molecular era mais restrita a pesquisas científicas, mas atualmente a Biologia Molecular também é fortemente usada para diagnósticos laboratoriais. Desde exames de paternidade a exames de marcadores moleculares de câncer, de identificação de patógenos, de intolerância a alimentos, a Biologia Molecular tem ganhado muito espaço na área laboratorial e a previsão é de que cresça ainda mais nos próximos anos, com o aumento da oferta de insumos, o que reduzirá os preços, tornando as tecnologias mais acessíveis tanto aos laboratórios quanto aos pacientes.

A técnica de PCR foi primordial para o avanço da Biologia Molecular. A sigla PCR vem do inglês Polymerase Chain Reaction, ou reação em cadeia da polimerase. Este método foi desenvolvido em 1983 por Kary Banks Mullis e é capaz de amplificar seletivamente uma determinada região do DNA, ou seja, utilizando uma única molécula de DNA ela é capaz de gerar milhares de cópias. A PCR promove, in vitro, o que o organismo realiza naturalmente, mas de forma controlada e muito mais rapidamente. É utilizada para o sequenciamento de genes e para a detecção e o diagnóstico de doenças genéticas (hereditárias ou somáticas) e infecciosas. É especialmente indicada para a detecção de doenças infecciosas, por ser um método de alta sensibilidade, rápido, capaz de identificar o patógeno (bactéria, fungo ou vírus), e, no caso da PCR em tempo real, quantificar o patógeno (no caso de vírus, a chamada carga viral). Para casos graves, o diagnóstico rápido pode ser vital para o sucesso da terapia.

O futuro da Biologia Molecular aponta para testagens cada vez mais completas – e complexas. Com a evolução do Sequenciamento de Nova Geração, ou NGS (Next-Generation Sequencing), é possível realizar testes multigênicos, que conseguem avaliar vários genes/patógenos ao mesmo tempo, e até mesmo avaliar toda a sequência codificadora do genoma humano, chamado de exoma. Hoje estas análises ainda demandam muito tempo e dinheiro, mas a tendência é que sejam mais rápidas, com a criação de softwares mais robustos, e mais baratas, pelo aumento da oferta e desenvolvimento de novos insumos. Também será necessário o aumento da capacidade dos bancos de dados dos laboratórios, devido à quantidade de dados gerada por estas tecnologias.

Em suma, a Biologia Molecular tem ganhado notoriedade e importância no diagnóstico laboratorial, fato que foi altamente exposto com a pandemia de COVID-19, pois o diagnóstico padrão-ouro do vírus SARS-CoV-2 é pela técnica molecular de RT-PCR. Essa importância tende a crescer, auxiliando com diagnósticos cada vez mais rápidos e precisos. 

Referências: 

NGS – O que é Sequenciamento de Nova Geração? – https://blog.varsomics.com/ngs/

O que é Biologia Molecular e onde se aplica? – https://bioemfoco.com.br/noticia/o-que-e-biologia-molecular-parte-1/

Biologia Molecular – https://biologia-molecular.info/

O que é Biologia Molecular? – https://inscricaoucb.catolica.edu.br/blog/biologia-molecular

What is Molecular Biology? – https://www.news-medical.net/life-sciences/What-is-Molecular-Biology.aspx

Receba novidades da Target direto no seu e-mail.

gdpr-image
Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao navegar, você concorda com a nossa Política de Privacidade.
Leia mais