(031) 2531-2200
relacionamento@tgt.life

JCVQL

 Poliomavírus JC, PCR Qualitativo

Setor

INF – INFECTOLOGIA

Material

Sangue periférico e plasma colhido em EDTA, líquor e urina.

Sinônimos

Detecção de poliomavírus JC por PCR; PCR para JCV; PCR para JC vírus.

Método

Reação em cadeia da polimerase em tempo real (qPCR)

Recipientes de coleta

Tubo com anticoagulante EDTA ou tubo de transporte de amostra.

Instruções de coleta

Sangue periférico: coletar de 3 a 5 mL de sangue periférico em tubo com EDTA. Após a coleta, homogeneizar para evitar a coagulação. Não é necessário jejum.

Plasma: coletar de 3 a 5 mL de sangue periférico em tubo com EDTA. Centrifugar a 1500 rpm por 10 minutos, aliquotar o plasma em novo tubo para transporte de amostra.

Urina: coletar, no mínimo, 2 mL de urina em frasco estéril.

Líquor: coletar o volume mínimo de 1 mL em tubo estéril.

Realizar as coletas de forma asséptica.

Instruções de conservação e envio

  • Todas as amostras devem ser armazenadas e transportadas de forma refrigerada (entre 2 e 8 °C) em até 3 dias após a coleta, evitando o contato direto com o gelo reciclável.
  • Se o envio das amostras de sangue periférico não for possível dentro desse prazo, é necessário centrifugar a amostra a 1500 rpm por 10 minutos, transferir o sobrenadante para um novo tubo de transporte e congelar.
  • Amostras de plasma, líquor e urina, se o envio não for realizado em até 3 dias após a coleta, devem ser enviadas ao laboratório congeladas no prazo máximo de 30 dias.

Documentação necessária

  • Todas as amostras devem ser cadastradas no MatrixNET (http://exames.tgt.life), indicando no campo apropriado, os dados clínicos do paciente e hipótese diagnóstica.
  • Informar contato do médico solicitante, caso haja necessidade de algum esclarecimento adicional.

Aplicação clínica

O vírus John Cunningham (JCV), da família Polyomaviridae, infecta a maioria da população (aproximadamente 75% a 80%), geralmente de forma assintomática ainda na infância. No entanto, em indivíduos com sistema imunológico enfraquecido, como pacientes vivendo com HIV/AIDS ou em tratamento com drogas imunossupressoras, pode desencadear a leucoencefalopatia multifocal progressiva, uma doença grave que afeta o sistema nervoso central causando disfunções motoras, visuais e de fala. Em pacientes transplantados renais pode causar nefropatia e perda do enxerto. A PCR permite a detecção desse patógeno, auxiliando o manejo de casos suspeitos.

Critérios de rejeição de amostra

REC – Volume insuficiente / REC – Tempo de conservação inadequado / REC – Sem identificação / REC – Tubo ou frasco sem amostra / REC – Amostra Hemolisada

Dias de recebimento de amostras

Segunda / Terça / Quarta / Quinta / Sexta / Sábado / Domingo

Prazo de entrega

05 dias úteis

Máscara de laudo

Consulte sempre a última versão disponível no site.

Última atualização: v1 (20/09/2023)

1/1

(031) 2531-2200
relacionamento@tgt.life

Save as PDF

COVID19U

 Poliomavírus JC, PCR Qualitativo

Setor

INF – INFECTOLOGIA

Material

Sangue periférico e plasma colhido em EDTA, líquor e urina.

Sinônimos

Detecção de poliomavírus JC por PCR; PCR para JCV; PCR para JC vírus.

Método

Reação em cadeia da polimerase em tempo real (qPCR)

Recipientes de coleta

Tubo com anticoagulante EDTA ou tubo de transporte de amostra.

Instruções de coleta

Sangue periférico: coletar de 3 a 5 mL de sangue periférico em tubo com EDTA. Após a coleta, homogeneizar para evitar a coagulação. Não é necessário jejum.

Plasma: coletar de 3 a 5 mL de sangue periférico em tubo com EDTA. Centrifugar a 1500 rpm por 10 minutos, aliquotar o plasma em novo tubo para transporte de amostra.

Urina: coletar, no mínimo, 2 mL de urina em frasco estéril.

Líquor: coletar o volume mínimo de 1 mL em tubo estéril.

Realizar as coletas de forma asséptica.

Instruções de conservação e envio

  • Todas as amostras devem ser armazenadas e transportadas de forma refrigerada (entre 2 e 8 °C) em até 3 dias após a coleta, evitando o contato direto com o gelo reciclável.
  • Se o envio das amostras de sangue periférico não for possível dentro desse prazo, é necessário centrifugar a amostra a 1500 rpm por 10 minutos, transferir o sobrenadante para um novo tubo de transporte e congelar.
  • Amostras de plasma, líquor e urina, se o envio não for realizado em até 3 dias após a coleta, devem ser enviadas ao laboratório congeladas no prazo máximo de 30 dias.

Documentação necessária

  • Todas as amostras devem ser cadastradas no MatrixNET (http://exames.tgt.life), indicando no campo apropriado, os dados clínicos do paciente e hipótese diagnóstica.
  • Informar contato do médico solicitante, caso haja necessidade de algum esclarecimento adicional.

Aplicação clínica

O vírus John Cunningham (JCV), da família Polyomaviridae, infecta a maioria da população (aproximadamente 75% a 80%), geralmente de forma assintomática ainda na infância. No entanto, em indivíduos com sistema imunológico enfraquecido, como pacientes vivendo com HIV/AIDS ou em tratamento com drogas imunossupressoras, pode desencadear a leucoencefalopatia multifocal progressiva, uma doença grave que afeta o sistema nervoso central causando disfunções motoras, visuais e de fala. Em pacientes transplantados renais pode causar nefropatia e perda do enxerto. A PCR permite a detecção desse patógeno, auxiliando o manejo de casos suspeitos.

Critérios de rejeição de amostra

REC – Volume insuficiente / REC – Tempo de conservação inadequado / REC – Sem identificação / REC – Tubo ou frasco sem amostra / REC – Amostra Hemolisada

Dias de recebimento de amostras

Segunda / Terça / Quarta / Quinta / Sexta / Sábado / Domingo

Prazo de entrega

05 dias úteis

Revisão: v2 (31/05/2022)